terça-feira, 22 de agosto de 2017

Programa Tiny Desk desnuda a eloquência do jazz

O programa Tiny Desk, da rádio pública dos EUA (NPR), tem uma proposta interessante para receber artistas de diferentes vertentes musicais.

Gravado no escritório da rádio, em Washington, rodeado por livros, discos e estantes, o inusitado cenário deixa a apresentação intimista e o músico muito à vontade.

Com sets de aproximadamente 20 minutos, muitos artistas aproveitam o ambiente aconchegante para interpretar suas músicas com novos arranjos e muitas vezes em formato acústico. O resultado - além de lindo - são registros marcantes e autorais.

Criado e apresentado por Bob Boilen - dono da mesa que aparece no cenário do programa -, em 2008, o Tiny Desk preza, acima de tudo, pelo novo, pelo inusitado e pelo diferente.

Boilen aprecia música e isso o deixa longe de preconceitos ou de modismo. O programa se tornou referência para internautas que procuram novos rumos musicais.



Na seara do jazz, diferentemente de outros tipos de música, o programa não se preocupa em trazer músicos desconhecidos. Parece que o jazz é tratado de uma maneira diferente, com mais cerimônia, com mais cuidado. Mas pouco importa.

O que interessa é que por aqui já passaram nomes como Chick Corea e Gary Burton (foto), Charles Lloyd, Jason Moran, Esperanza Spalding, Terence Blanchard, Gregory Porter e tantos outros.

Na player abaixo, há uma seleção de vários programas exclusivamente com músicos de jazz. É só procurar o que mais gosta e começar a desfrutar. Mais abaixo, há links para fazer o download de alguns desses programas na íntegra. É só clicar no nome do músico. Bom divertimento.



René Marie

Chick Corea & Gary Burton

Charles Lloyd & Jason Moran

Gregory Porter

Jane Bunnett e Maqueque

Ravi Coltrane Quartet

Eddie Palmieri

Donny McCaslin

Sun Ra Arkestra

Vijay Iyer Trio

sábado, 5 de agosto de 2017

Blue Note Rio

Apesar de todo o problema que a cidade do Rio de Janeiro passa, é inegável dizer que ela continua sendo o principal destino turístico do país. Obviamente que tudo seria melhor se o Rio não tivesse sido saqueado por políticos inescrupulosos, por policiais corruptos e pelos traficantes.

O Rio tinha tudo para ser abandonado a própria sorte. Mas o cidadão carioca se recusa a abrir mão do seu bem mais precioso: sua liberdade de poder ir e vir e da sua tão amada Cidade Maravilhosa.

A prova da força do Rio e do seu cidadão pode ser mais uma vez vista com a chegada do clube de jazz Blue Note, que tem inauguração prevista para o fim de agosto.

A tradicional casa de jazz nova-iorquina - inaugurada em 1981 - é conhecida pelos seus shows de jazz de alta qualidade. Além de Nova York, a Blue Note tem filiais na California, Havaí, Milão, Pequim, Tóquio e Nagoya. O Rio será a sua primeira unidade no Hemisfério Sul.

Segundo Luiz Calainho, que comanda a holding L21, o investimento inicial para abrir a filial carioca, que funcionará onde era a Miranda, na Lagoa Rodrigo de Freitas, é de US$ 1,2 milhão.

Com 350 lugares, o Blue Note Rio também contará com almoços semanais, regados a shows de jazz, e brunchs aos domingos; um chef já de renome comandará a gastronomia do local.

Pela programação já divulgada pela casa, o Blue Note Rio tem tudo para se tornar o mais importante palco da música instrumental brasileira e do jazz no país.

Para a inauguração, no dia 31 de agosto, o público terá a oportunidade inédita de assistir ao encontro do pianista Nelson Ayres, com o Trio da Paz e o pianista João Donato, e o encontro entre o saxofonista Carlos Malta e os percussionista Robertinho Silva e Marcos Suzano. O Trio da Paz é formado pelo violonista Romero Lubambo, o baixista Nilson Matta e o baterista Duduka Fonseca.

As atrações internacionais já anunciadas também vão fazer a alegria dos fãs de jazz. Entre eles estão Chick Corea & Steve Gadd, em 20 de outubro, Maceo Parker, nos dias 7 e 8 de setembro, Spyro Gyra, de 2 a 4 de novembro, e Chris Botti, de 5 a 8 de outubro.

Entre o shows brasileiros já agendados, vale registrar os encontros entre a cantora Leny Andrade e o guitarrista Nelson Faria, no dia 2 de setembro. Quem também terá companhia no palco do Blue Note será o bruxo Hermeto Pascoal, que recebe o veterano guitarrista Heraldo do Monte, no dia 28 de setembro.

Outro dueto que deve atrair o público é entre o saxofonista Leo Gandelman e o violonista Dori Caymmi, no dia 2 de setembro. Mas a atração mais aguardada de todas deve ser mesmo a apresentação do pianista Sergio Mendes, nos dias 9 e 10 de setembro. Mendes mora há 40 anos dos Estados Unidos e raramente se apresenta no Brasil.

Outro ponto positivo é que o sistema de dois shows por noite da mesma atração - exatamente como acontece em outras filias do Blue Note ao redor do mundo - foi mantido pelos administradores brasileiros. Assim, o público terá mais ingressos à disposição.

A chegada do Blue Note ao Rio de Janeiro ainda serve para alegrar os órfãos de espaços como o Mistura Fina, Canecão e a Modern Sound, três importantes e tradicionais redutos de shows na cidade que fecharam nos últimos anos. Para ter mais detalhes sobre a casa e sua programação, visite o Facebook oficial aqui.

PROGRAMAÇÃO

30/08 – Quarta-feira
Abertura para convidados com a Brazil Jazz Stars

31/08 – Quinta
20h — Brazil Jazz Stars com Trio da Paz e Nelson Ayres
22h30 — Brazil Jazz Stars com Carlos Malta, Robertinho Silva e Marcos Suzano

01/09 – Sexta
20h — Brazil Jazz Stars com Monica Salmaso e Guinga
22h30 — Brazil Jazz Stars com Azymuth e Marcos Valle

02/09 – Sábado
20h — Brazil Jazz Stars com Dori Caymmi
22h30 — Brazil Jazz Stars com Leny Andrade, Nelson Faria e Ney Conceição

06/09 - Quarta
20h — Jaques Morelenbaum convida Mayra Andrade

07/09 - Quinta
20h — Maceo Parker
22h30 — Maceo Parker

08/09 – Sexta
21h — Maceo Parker
23h30 — Maceo Parker

09/09 – Sábado
21h — Sergio Mendes
23h30 — Sergio Mendes

10/09 – Domingo
20h — Sergio Mendes
22h30 — Sergio Mendes

13/09 - Quarta
20h — Jaques Morelenbaum convida Jan Dumée & Wim Dijkgraaf

16/09 – Sábado
21h — Baby do Brasil
23h30 — Baby do Brasil

17/09 – Domingo
20h — Baby do Brasil
22h30 — Baby do Brasil

20/09 - Quarta
20h — Jaques Morelenbaum convida Diego Schissi

21/09 – Quinta
20h — Banda Black Rio
22h30 — Banda Black Rio

22/09 – Sexta
21h — Banda Black Rio
23h30 — Banda Black Rio

23/09 — Sábado
21h — Orquestra Atlântica
23h30 — Orquestra Atlântica

27/09 - Quarta
20h — Anne Paceo

28/09 - Quinta
20h — Hermeto Pascoal e Heraldo do Monte
22h30 — Hermeto Pascoal e Heraldo do Monte

29/09 - Sexta
21h — Wagner Tiso e Tunai
23h30 — Wagner Tiso e Tunai

30/09 - Sábado
21h — Orquestra Atlântica
23h30 — Orquestra Atlântica

04/10 - Quarta
20h — Ala.Ni

05/10 – Quinta
20h — Chris Botti 22h30 — Chris Botti

6/10 – Sexta
21h — Chris Botti
23h30 — Chris Botti

07/10 – Sábado
21h — Chris Botti
23h30 — Chris Botti

08/10 – Domingo
20h — Chris Botti

22h30 — Chris Botti

11/10 - Quarta
20h — Teresa Salgueiro
22h30 — Teresa Salgueiro

12/10 – Quinta
20h —Teresa Salgueiro
22h30 — Teresa Salgueiro

20/10 – Sexta
21h — Chick Corea & Steve Gadd Band
23h30 — Chick Corea & Steve Gadd Band

01/11 - Quarta
20h — Banda Mantiqueira
22h30 — Banda Mantiqueira

02/11 - Quinta
20h — Spyro Gyra
22m30 — Spyro Gyra

03/11 - Sexta-feira
21h — Spyro Gyra
23h30 — Spyro Gyra

04/11 - Sábado
21h — Spyro Gyra
23h30 — Spyro Gyra

15/11 - Quarta
20h — Laura Perrudin

16/11 - Quinta
20h — Didier Lockwood Trio
22h30 — Didier Lockwood Trio

17/11 – Sexta-feira
21h — Antonio Carlos e Jocafi com Ithamara Koorax
23h30 — Brazil Jazz Stars

18/11 - Sábado
21h — Antonio Carlos e Jocafi com Ithamara Koorax
23h30 — Brazil Jazz Stars